bursite

Como é o tratamento da bursite?

Em todo o corpo humano, existem cerca de 160 bursas. Elas são bolsas de líquido sinovial, que possuem o objetivo de amortecer o atrito das articulações, provocado pelo movimento entre os músculos, ossos e tendões. A bursite acontece, portanto, quando a bursa encontra-se inflamada. Esse quadro prejudica a lubrificação da área e, com isso, provoca dor e limita os movimentos. 

Existem dois tipos de bursite: a inflamatória, provocada por agentes químicos, sépticas, como feridas infectadas e sobrecarga, como o atrito constante do tendão com a bursa; e a hemorrágica, na qual é provocada por lesões em que há vazamento de sangue na bursa. 

Apesar de estar localizada em diversas regiões do corpo, as bursas mais impactadas com a patologia são as dos ombros, cotovelos, coxas, nádegas, quadris, joelhos, tornozelos e calcanhares. É muito comum que o local esteja diretamente ligado ao motivo que está provocando a inflamação.

Por exemplo: os movimentos repetitivos realizados por tenistas tendem a acometer as bursas do cotovelo, assim como as que ocorrem nos tornozelos e calcanhares estão associadas a longas caminhadas, ao uso de calçados indevidos, excesso de peso e aos movimentos repetitivos na região. 

A inflamação das bursas pode ser provocada por uma série de fatores: ela pode estar associada ao uso excessivo das articulações, devido à movimentação repetitiva. Também pode estar associada a doenças, como escoliose, lúpus, infecções e alguns tipos de artrites e traumas. 

Sintomas da bursite

O principal e primeiro sintoma da bursite é a dor. No entanto, a inflamação das bursas provoca, também:

  • vermelhidão;
  • inchaço;
  • dificuldade em movimentar o local afetado;
  • aumento da temperatura local.

No início, os sintomas surgem apenas quando o membro afetado é movimentado. No entanto, com o passar dos dias, os sintomas tendem a se agravar. Mesmo em repouso, a dor tende a ser forte e compromete seriamente os movimentos. 

Tratamento da bursite

Além de conter a dor, o tratamento consiste, também, na contenção da inflamação. Ele é feito com o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Além disso, recomenda-se o uso de compressas de gelo duas vezes ao dia, durante 20 minutos.

Para que a articulação se cure, é preciso que haja repouso. Por isso, é de grande importância evitar a movimentação do membro afetado. Além disso, o repouso contribui para a diminuição da dor. A fisioterapia é outro recurso no combate da inflamação da bursa. Ela auxilia na recuperação e ajuda a restabelecer a força.

O paciente deve, também, proteger a região afetada, fazendo o uso de imobilizadores, como joelheiras e cotoveleiras. É recomendável apoiar o membro inflamado em um travesseiro ou almofada ao dormir. Alguns tipos de alimentos também são incentivados.

Eles auxiliam no combate à inflamação, devido às suas propriedades nutricionais. Portanto, quem sofre com alguma inflamação deve consumir frutas cítricas e vermelhas, oleaginosas, ômega 3, vegetais, ervas aromáticas, óleo de coco e azeite. 

Em casos mais graves, é necessário realizar um procedimento cirúrgico para a drenagem do líquido. No entanto, recorre-se à cirurgia apenas em casos em que o tratamento convencional são surte o efeito desejado. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Luís!

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Henrique Rios