Entorse do tornozelo

Entorse do tornozelo: o que fazer?

Chamamos de entorse do tornozelo o trauma que ocorre após inversão do pé, normalmente durante alguma atividade de impacto ou acidente durante a locomoção.

Quando isso acontece, há um estiramento (em casos mais brandos) dos ligamentos existentes no tornozelo. Em casos mais complexos, pode haver ruptura parcial ou total dos ligamentos.

Abaixo, falaremos um pouco mais sobre as causas mais comuns de entorse do tornozelo, apresentaremos as classificações médicas do problema e explicaremos quais são as formas de tratamento normalmente utilizadas. Confira!

Razões mais comuns para a entorse do tornozelo

Como já comentamos, a lesão costuma acontecer durante a prática de atividades físicas ou por acidentes de trajeto, mas isso não é uma regra.

Existem circunstâncias e hábitos que podem atuar como fatores de risco para o desenvolvimento do problema.

O não tratamento correto de lesões dessa ordem, por exemplo, pode fazer com que o paciente tenha instabilidade no andar, o que o torna mais propenso a desequilíbrios, tropeços e novos acidentes.

A utilização de salto alto diariamente, inclusive durante o deslocamento padrão, pode aumentar a chance de se torcer o pé.

Pisos irregulares ou desnivelados, escadas com degraus de tamanhos diferentes, exercícios físicos feitos erroneamente em academias e até tropeçar em obstáculos na rua podem causar entorses preocupantes.

O que fazer ao torcer o pé?

Vamos por partes.

Existem 3 graus de entorse. No grau 1, temos estiramento leve dos ligamentos, o que pode gerar um pouco de dificuldade para andar, dor local e inchaço.

No grau 2, verifica-se ruptura parcial dos ligamentos. A movimentação torna-se ainda mais difícil e a dor aumenta.

No grau 3, a dor é forte, costuma impedir que o paciente coloque o pé no chão e gera instabilidade. Os ligamentos, nesse caso, sofrem ruptura total.

A depender da severidade da lesão, o paciente pode precisar de ajuda emergencial — e certamente precisará do auxílio de terceiros para ser levado ao hospital.

Os primeiros cuidados envolvem não forçar o pé no chão, para evitar que a lesão piore, aplicação de gelo e, claro, levar o quadro à atenção de uma equipe responsável.

O ideal é que o paciente encaminhe-se diretamente para o setor de emergência, uma vez que pode ser necessário imobilizar o pé e entrar com medicação.

É comum, vale salientar, que o especialista solicite alguns exames de imagem, apenas para verificar se houve fraturas.

Por quanto tempo terei que tratar uma entorse do tornozelo?

O tipo e a duração do tratamento variam de acordo com a intensidade da lesão sofrida.

É normal que o paciente seja afastado das atividades cotidianas por pelo menos 1 semana e que precise ficar em repouso, com o pé imobilizado.

Atividades físicas que envolvam os pés estão vetadas, assim como pressionar a lesão no chão. Tais circunstâncias, além de dolorosas, podem piorar o problema existente.

Aplicar compressas de gelo ajuda a diminuir o inchaço. Botas ortopédicas também auxiliam a manter o pé imobilizado e a não forçar a entorse.

Medicamentos para dor, assim como anti-inflamatórios, também costumam ser receitados.

É primordial seguir as instruções do médico durante todo o tratamento.

Se a entorse do tornozelo não for tratada corretamente, como já comentamos, pode afetar permanentemente a qualidade de vida de uma pessoa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Luís!

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Henrique Rios