Fratura no tornozelo

Fratura no tornozelo: sintomas, causas e tratamentos

O tornozelo é o segmento ósseo localizado em cada um dos membros inferiores entre a perna e o pé. Assim como qualquer outra parte do corpo, ele pode sofrer lesões, como a fratura no tornozelo. No tornozelo, há duas protuberâncias ósseas que se chamam maléolos, que são extremidades distais dos dois ossos da perna: tíbia e fíbula. As fraturas na região acontecem no maléolo lateral da fíbula ou no maléolo medial ou posterior da tíbia. Tais fraturas podem ser instáveis ou estáveis, o que interfere diretamente no tipo de tratamento. As estruturas que integram o tornozelo formam uma espécie de anel, que liga a fíbula e a tíbia ao calcâneo e ao talo. Na parte interna desse anel, a estabilidade é mantida por ossos e complexos ligamentares. Quando as fraturas de tornozelo acontecem, ossos e ligamentos podem se romper de forma grave, desestabilizando o anel e afetando as articulações. Neste artigo, trazemos mais informações sobre esse tipo de fratura Continue a leitura e saiba mais.

Sintomas de fratura no tornozelo

Os sintomas imediatos desse tipo de fratura são o inchaço e a dor local. A dor costuma se estender de maneira difusa em torno do tornozelo. Pode ocorrer, também, deformidade no tornozelo e  incapacidade de suportar o peso corporal após a lesão, o que leva o paciente a mancar.

Causas desse tipo de fratura

A fratura de tornozelo é relativamente comum, e pode acontecer devido a diversos mecanismos capazes de lesionar a área, como a prática de atividades esportivas como corridas e saltos. Outras causas comuns são as quedas, pancadas fortes, esportes de contato, acidentes de carro, motocicleta etc. Independentemente do mecanismo envolvido na lesão, uma fratura de tornozelo sempre acontece porque a articulação é forçada além dos limites de sua amplitude normal de movimentação ou quando o osso sofre um golpe direto.

Tratamentos para fratura no tornozelo

Para iniciar o tratamento adequado, é necessário diagnosticar a condição e verificar o nível de comprometimento do tornozelo. O diagnóstico é feito por meio de radiografia e, eventualmente, de ressonância magnética. Além de exames de imagem, o exame físico com palpação da região também faz parte da investigação clínica. Confirmada a existência de fratura no tornozelo, o médico poderá indicar a aplicação de gesso ou uso de calçado ortopédico. A depender do caso, é recomendável recorre à técnica RAFI – Redução Aberta com Fixação Interna para reposicionar e estabilizar os ossos. Lesões estáveis costumam ser tratadas com abordagem conservadora, sem haver necessidade de cirurgia. Já as lesões instáveis demandam procedimento cirúrgico para alinhar os fragmentos ósseos e favorecer o processo de consolidação da fratura. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Luís!
Comentários
Avatar

Posted by Dr. Henrique Rios