Artrite no pé e tornozelo

Artrite no pé e tornozelo: sintomas, causas e tratamentos

Artrite no pé e tornozelo: sintomas, causas e tratamentos

A artrite é resultado de um processo inflamatório em uma ou mais articulações do corpo. Ela pode atingir diferentes regiões, tanto que há mais de 100 formas de artrite, sendo que todas elas podem gerar desconforto e comprometer a mobilidade. Vale destacar que a artrite é bastante comum em pequenas estruturas articulares, como artrite no pé e tornozelo. Enquanto nos movimentamos, pé e tornozelo fornecem suporte ao nosso peso, absorvem impactos e permitem o equilíbrio do corpo. Mais do que isso, os ossos e as articulações da região possibilitam uma ampla gama de movimentos, os quais podem ser prejudicados pela artrite. Quer conhecer mais detalhes sobre a artrite de pé e tornozelo? Confira no artigo os principais sintomas, as causas e os tratamentos indicados.

Sintomas

Os sintomas da artrite no pé e tornozelo variam conforme a articulação afetada, mas, de modo geral, a condição é marcada por dor e inflamação. A dor pode se intensificar com o movimento, especialmente com atividades vigorosas. Ocorre, normalmente, o inchaço nas articulações, além de calor e vermelhidão local. Para completar, a pessoa pode apresentar dificuldade para caminhar e suportar o peso corporal.

Causas

Para entender as causas da artrite, antes é importante saber como tal condição inflamatória é classificada. Os principais tipos de artrite são a osteoartrite, a artrite reumatoide e a artrite pós-traumática. A osteoartrite, também chamada de artrite degenerativa, é um problema mais comum em pessoas a partir dos 40 anos de idade, embora possa atingir indivíduos mais jovens. Ela é caracterizada pelo desgaste ósseo e pode estar relacionada a fatores como envelhecimento natural, obesidade e histórico familiar. A artrite reumatoide, por sua vez, é uma doença autoimune, isto é, uma enfermidade na qual o próprio sistema imunológico ataca os tecidos. Assim, ossos e cartilagens do tornozelo sofrem danos, além de tendões e ligamentos. Essa condição pode provocar deformidade e comprometimento articular grave. A causa exata não é conhecida, mas a doença pode estar associada a aspectos genéticos, infecções e fatores ambientais que funcionam como gatilho. Já a artrite pós-traumática se desenvolve depois de uma lesão no tornozelo ou no pé, seja uma luxação ou fratura que danifica a superfície articular. Esse tipo de artrite, assim como os outros, gera inflamação e desgaste nas articulações. Estudos revelam que uma pessoa com lesão articular prévia tem sete vezes mais chances de desenvolver artrite na articulação lesionada.

Tratamentos para a artrite no pé e tornozelo

Embora não exista cura definitiva para a artrite , há maneiras de tratar a condição para evitar o seu avanço e aliviar os sintomas, proporcionando maior qualidade de vida. Com o tratamento certo, o paciente pode controlar a dor, reduzir as limitações e permanecer ativo. O tratamento inicial costuma ser conservador e não invasivo. Ele inclui  modificações no estilo de vida, como redução das atividades que agravam os sintomas, principalmente exercícios de alto impacto. A manutenção do peso saudável também ajuda a reduzir o estresse das articulações, diminuindo a dor e melhorando o funcionamento de pé e tornozelo. Fisioterapia também é um recurso útil para aumentar a amplitude dos movimentos e melhorar a flexibilidade, além de fortalecer os músculos. Os resultados da fisioterapia devem ser discutidos com o médico, pois, em alguns casos, em vez de contribuir para o tratamento da artrite, as dores articulares podem se intensificar. Em determinadas situações, o uso de palmilhas, calçados ortopédicos, bengalas e outras órteses pode ser recomendado, assim como a utilização de medicação anti-inflamatória para controlar o inchaço e a sensação dolorosa. Em quadros graves, quando a dor chega a ser persistente e incapacitante, depois de tentar as primeiras opções terapêuticas, pode haver indicação cirúrgica para remoção de cartilagens soltas, tecido sinovial inflamado e esporões ósseos. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Luís!
Posted by Dr. Henrique Rios in Todos